GABARITO DA PROVA TRIMESTRAL DE LÍNGUA PORTUGUESA 8º ANO

 

  1. a) Em um conto policial de enigma, sempre há um delito a ser desvendado, nessa narrativa, os delitos são o assassinato da agiota e o roubo do cofre. Outra característica típica são as pistas verdadeiras e as falsas, que levam a mais de um suspeito. Nesse conto, os suspeitos são a empregada, o sobrinho e o cego. Ainda há características que poderiam ser mencionadas (se associadas ao conto em questão): sempre há um investigador e o clima de suspense, que vai conduzindo o leitor e as demais personagens ao desvendamento do crime.

 

              b) O conto se constrói em torno da morte da senhora Matilde Rezende, seguida do roubo do cofre (latrocínio).

 

  1. Dentre os  gêneros mais trabalhados no trimestre, o desfecho aproxima-se mais do conto de enigma, pois ocorre o uso da lógica para o desvendamento de um crime, eliminando-se assim as pistas falsas e chegando-se ao verdadeiro assassino. O gênero que mais se afasta deste conto é o texto de ficção científica, pois não há fatos que ocorram em um tempo futuro e também não há fatos com base na ciência ou na tecnologia.

 

  1. As pistas falsas pretendem confundir o leitor (e também algumas personagens) sobre a conclusão de quem seria o criminoso. Causam mais suspense à narrativa, prendendo à leitura. Neste conto, as pistas falsas são: o sobrinho, que esteve no local do crime, com um perfume marcante e estava muito endividado; a empregada, que saiu e voltou apenas depois que a polícia chegou; o cego, que é tido como um camelô marginal, que se dizia cego.

 

  1. O procedimento criticado pelo protagonista é o fato de a polícia chegar a conclusões de forma precipitada, sem utilizar a lógica e a dedução corretamente, antes de incriminar alguém. Outra frase de Zezinho que comprova isso é: “ – Nem todo desempregado é marginal, titito. Assim como nem todo pistoleiro é bandido, pois a polícia também usa pistola...”

 

  1. Em um conto de enigma, todos os fatos relacionam-se por meio da lógica. Em um conto fantástico já não há lógica, é um mundo  surreal em que tudo pode acontecer. Já no conto de ficção científica, há dados relacionados à ciência e à tecnologia existentes em um tempo futuro, o qual seria muito diferente do tempo atual.

 

  1. a) Nessa oração há sujeito indeterminado

 

b) A utilização desse tipo de sujeito é necessária, pois indica a possibilidade de mais de uma pessoa ter praticado aquela ação.

 

c) Um exemplo seria: “Roubaram tudo do cofre?”

 

  1. Os predicados são de classificação diferente, pois, apesar de ter verbos semelhantes (estava), na primeira oração há VL + PS, resultando em um PN. Na segunda oração há um VI, pois depois do verbo  há advérbio, resultando em um PV.

 

  1. Os termos são de classificação diferente. O primeiro é um OD e o segundo é um PO.

 

 

  1. a) As palavras são: POLÍCIA, DIFÍCIL, CAÍDO, ESCRITÓRIO, NÁILON.

            b) Acentuam-se, o i e o u tônicos, em hiato com vogal ou ditongo anterior, formando sílaba sozinhos ou com s.

 

  1. Resposta pessoal (situação inicial de um texto de ficção científica, tema cegueira, tipo de narrador, contemplar características, sem título).